Président

Roquefort DOP


Queijo Roquefort Président

A sua textura é cremosa e barrar-se com uma certa facilidade.

Descobrir


Descrição

O homem nunca teve uma vida fácil nos Causses, uma terra "onde não crescem videiras nem grão de trigo".
A natureza, no entanto, magnânima, ofereceu-lhes o mais prestigiado queijo de pasta azul, o Roquefort.

Características especiais

D.O.C. desde 1925.
Queijos de pasta azul.
52% de gordura.
Forma de um cilindro de cerca de 20 cm de diâmetro para 8,5-10,5 cm de altura.
O peso varia entre 2,5 e 2,9 kg, mas é possível encontrá-lo também em porções de 25, 33, 100, 160 e 200 gramas.
A sua pasta tem veios azuis e é coberta por uma casca húmida, branca e brilhante.
Produção: 19.900 t.

Gastronomia

O Porto e o Sauternes combinam deliciosamente com o sabor contrastante, forte e ao mesmo tempo delicado do Roquefort.
Um must numa tábua de queijos, soube seduzir os grandea chefs e tem inspirado muitas receitas.

Produção

Os queijos brancos, produzidos em dois dias, são levados para as caves naturais de Roquefort-sur-Soulzon, onde são curados durante 3 meses, ao ritmo da respiração das grutas. Fleurines, a maior cave para queijos de todos os tempos, uma área exclusiva para a cura do Roquefort.
Cada cave tem a sua própria personalidade, o seu charme, mas acima de tudo um microclima que se reflete no método de cura. Cada uma se desenvolve de acordo com a sua magia e a sua linha de Roquefort de sabores particulares.
O Roquefort tem sido um líder no campo da denominação de origem: foi em 1411 que Charles VI assinou um decreto que atribuiu aos habitantes de Roquefort "o monopólio da cura do queijo, como se fazia nos tempos imemoráveis nas grutas desta aldeia."
A raça ovina de Lacaune, de porte altivo com a cabeça fina e as orelhas horizontais, representa 80% da produção de leite necessário para a produção de Roquefort.
Desde meados do século XIX, os negociantes agruparam-se para criar a Société Civile des Caves Réunies (Sociedade Civil das Caves Reunidas), que experimentou uma rápida expansão. A racionalização da produção e a inovação nas técnicas de fabricação andam de mãos dadas com o respeito pela tradição.
É difícil saber se o primeiro consumidor de Roquefort foi um pastor da Idade do Bronze ou um pastor galaico-romano, e se o Roquefort é o queijo citado por Plínio, o Velho; o que é certo, porém, é que Carlos Magno o nomeou seu queijo favorito. Um dia provou-o no mosteiro de Vabres e, removendo com a ponta da faca o nobre bolor, foi repreendido por um abade: "Senhor, retirou a melhor parte."

Área geográfica

A área tradicional de coleta do leite é a antiga província de Rouergue, que inclui Aveyron e os departamentos vizinhos.
Nessas Causses, imensas planícies de pedra calcária atravessadas por vales com abundantes ervas selvagens aromáticas, os vários rebanhos de ovelhas encontram os seus pastos favoritos.